Mudança de hora. Estratégias eficazes para evitar transtornos que possam perturbar a sua rotina diária

Mudança de hora. Estratégias eficazes para evitar transtornos que possam perturbar a sua rotina diária

Cansaço, dores de cabeça, desorientação, ansiedade, irritabilidade, indigestão, problemas estomacais, insónias e sonolência durante o dia são apenas alguns dos sintomas que perturbam muita gente em época de alteração de horários.

Sempre que o calendário aponta uma nova mudança de hora, são muitas as pessoas a experimentar algum tipo de transtorno que afeta a sua dinâmica diária durante os primeiros dias após a transição. Cansaço, dores de cabeça, desorientação, ansiedade, irritabilidade, indigestão, problemas estomacais, insónias e sonolência durante o dia são apenas alguns dos sintomas que perturbam muita gente em época de alteração de horários.

Para os combater, são várias as estratégias preventivas a que pode recorrer, como pode comprovar de seguida:

– Durma bastante nos dias anteriores à alteração de horário. Se o organismo estiver mais relaxado, terá maior facilidade em adaptar-se à mudança.

– Deite-se uma hora antes do seu horário habitual uns dias antes da alteração. Faça-o de forma progressiva para se ir ambientando.

– No dia da mudança de hora, levante-se quando o seu relógio marcar a hora habitual de despertar e saia à rua. Deixe que o sol indique ao seu corpo que já é de dia.

– Adapte o seu horário das refeições e de sono o mais rapidamente possível. Quando mais tempo o protelar, maiores dificuldades terá. Se costumava almoçar à uma da tarde, mantenha este hábito no novo horário. O mesmo se aplica na hora de se deitar.

– Se se sentir sonolento e se tiver essa oportunidade, considere a possibilidade de fazer uma breve sesta, nunca superior a 30 minutos. Os efeitos reparadores da sesta são bem conhecidos, sobretudo pelos espanhóis, que não vivem sem ela.

– Evite a cafeína e outros estimulantes. Nos dias que antecedem a mudança e na primeira semana subsequente, deve cortá-los da sua alimentação.

– Se tiver o hábito de fazer exercício, continue a praticá-lo. Se não for o seu caso, é uma boa altura para começar. Muitos estudos internacionais afirmam que as pessoas mais ativas têm mais facilidade em adaptar-se a esta mudança.

Fonte: SAPO LifeStyle – Link

Close Menu